Respiração, Dicção, e Voz

Tempo de leitura: 3 minutos

Esses três temas são importantíssimos no dia a dia de um futuro orador.

A respiração faz parte da vida e do ato de falar.

Todos nós nascemos respirando corretamente.

Você já observou uma criancinha dormindo?

– Parece que ela está respirando pelo abdômen. Não é verdade?

-Na realidade, ela está respirando mecanicamente pelo diafragma, que fica situado um pouco abaixo das nossas costelas.

A respiração correta é aquela em que todo o pulmão é preenchido pelo ar, fazendo com que haja a movimentação do diafragma, projetando ligeiramente a barriga para frente.

Como é a sua respiração?

Coloque as suas mãos um pouco acima do umbigo e ao inspirar, verifique  se  suas  mãos  estão  se projetando para frente ou se estão recolhendo para trás.

Nós nascemos respirando corretamente pelo diafragma, acontece à medida que vamos crescendo, no intuito adquirirmos uma postura mais elegante, vamos acondicionando maneiras incorretas de respiração. Em outras palavras, damos mais valor para a respiração torácica e esquecemos a diafragmática. Se ao inalar o ar, suas mãos acompanharem o movimento de retorno do seu abdômen para trás, sua respiração está invertida.

Com a respiração invertida, você fica com os pulmões vazios de ar e na hora da fala, não conseguirá iniciar a frase, uma vez que, não se formará a coluna de ar na traqueia, responsável pelo tom da voz nas pregas vocais.

Pode acontecer também, da respiração diafragmática estar correta, porém fraca, dando a sensação de que o ar é pouco e insuficiente para completar aquela frase.  Isso é sinal que você não inalou com vontade e força para encher os pulmões.

Vamos aprender a respirar corretamente?

Deite-se numa posição confortável e coloque as mãos sobre o diafragma, ao inalar pelas narinas, verifique se suas mãos estão se deslocando para frente, e ao expelir o gás carbônico pela boca, sinta as mãos retornando para dentro, imaginando encostar o umbigo nas costas.

Recomendamos os exercícios físicos, aeróbicos, caminhadas, alongamentos, tudo isso em consonância com a respiração diafragmática correta.

Saber respirar corretamente pelas narinas e expelir pela boca é um dos segredos da boa dicção.

Se estiver lendo, exercite a respiração nas vírgulas e nos pontos finais.               A dicção é a maneira de articular ou pronunciar as palavras de maneira clara exprimindo uma ideia.

A boa dicção como vimos anteriormente, depende de uma respiração adequada e sobretudo, de um aquecimento nos músculos faciais e na língua.

Exercícios de aquecimentos:

Para relaxar os músculos que compõe a face, inicie com um sorriso, depois um riso e por último dê uma deliciosa gargalhada.

Para alongar os músculos faciais e a língua faça os seguintes exercícios:

  • Comprima fortemente todos os músculos da face durante uns dez segundos e solte-os rapidamente;
  • Imagine como se estivesse com vinte chicletes na boca e mastigue-os durante dez segundos;
  • Para aquecer a língua, imite o movimento que a cobra faz colocando-a para dentro e para fora;
  • Imite o ronco da motocicleta tripidando com a língua, pronunciando forte: “TRAAA… TREEE… TRIII… TROOO… TRUUU…
  • Coloque uma caneta ou uma espátula entre os dentes e pronuncie silabicamente o que você estiver lendo, durante dois minutos;
  • Retire a caneta ou a espátula, abra bem a boca e repita os mesmos exercícios, pronunciando claramente, com um leve sorriso na voz.

No exercício de dicção, pronuncie claramente todas as sílabas das palavras, as iniciais, as do meio e as finais.

Pronuncie nos ensaios, especialmente as finais, como se todas as palavras fossem oxítonas, pronunciando bem a última sílaba, todas as outras sairão claras.

Quando você “come” a última sílaba, as palavras perdem ou mudam o verdadeiro sentido, tornando-se incompreensíveis, o que pode causar certa comicidade.